fbpx

Mau Hálito: Causas, Tratamento e Como Prevenir

O que é a Restauração Indireta?
Setembro 12, 2022

Halitose é um termo usado para se referir ao mau hálito. Este problema é um sintoma de outros problemas de saúde, ou uma consequência de comportamentos de higiene não adequados, ou consumo de alguns alimentos.

O mau hálito é um problema comum e que afeta um grande número de pessoas no mundo. O lado bom é que o tratamento deste problema de saúde é simples na maioria dos casos, passando pela higienização ou tratamento no dentista.

Quais são as possíveis causas do mau hálito?

Existem diversas causas possíveis para a halitose, algumas simples como a má higiene oral, e outras mais complicadas, como a presença de cáries. Contudo, o mau hálito ao acordar pode ser normal.

Placa bacteriana e tártaro

Se não for feita uma correta higiene oral após as refeições, a placa bacteriana pode começar a formar-se e, em casos mais graves, pode surgir o tártaro. A placa bacteriana e o tártaro podem ter diversas consequências na saúde oral, como o mau hálito ou halitose. Porém, existem outras de maior gravidade, como as cáries.

Sendo esta a causa, o problema pode ser facilmente resolvido com cuidados de higiene ou com uma visita ao dentista. A higiene deve ser o mais completa possível, para todos os resíduos alimentares serem devidamente removidos.

Não escovar a língua

Não esqueça da língua durante os momentos de higiene. Esta tende a acumular bactérias e restos de alimentos que, assim a longo prazo, podem provocar problemas na boca e o aparecimento do mau hálito.

A melhor forma de evitar a acumulação é através da higiene adequada, consulte o seu dentista.

Cáries dentárias

As cáries dentárias são um problema comum na população mundial e podem afetar tanto os adultos, como os mais novos. Assim, as cáries podem surgir por diversas razões, sendo uma das mais comuns a presença de tártaro.

Este problema dentário apresenta diversos sintomas, como a sensibilidade dentária, a dor de dentes e o mau hálito. Nestes casos, o tratamento deve ser feito o mais rapidamente possível, para evitar consequências maiores.

Gengivite

A gengivite também pode ser uma das causas do mau hálito. Esta é uma inflamação das gengivas e um problema frequente que pode surgir por diversas razões.

Além do mau hálito, a gengivite também tem como sintomas a alteração da cor das gengivas e o sangramento que pode acontecer em diversos momentos.

Periodontite

Se a gengivite não for tratada com antecedência, pode evoluir para periodontite, uma infeção que afeta os tecidos que têm como função o suporte dos dentes. Este problema é muito comum entre adultos e, se não tratado, pode assim ter como consequência a perda de dentes.

Alguns sinais de alerta para a existência de periodontite é o mau hálito intenso, o sangramento da gengiva, a retração gengival, as gengivas sensíveis, e uma dor.

Outras possíveis causas do mau hálito

Além das causas mencionadas acima, o mau hálito também pode ser uma consequência da fraca higienização. Por exemplo, ao usar aparelho dentário ou prótese dentária removível, se não fizer uma boa higienização, pode resultar em mau hálito.

Outras doenças como a sinusite, o refluxo gastroesofágico ou a bronquite também podem ser responsáveis pela halitose. Além disso, o uso de certos medicamentos é, também, uma das possíveis causas.

Ao nível de comportamentos diários, a fraca ingestão hídrica e a ingestão de determinados alimentos, os hábitos tabágicos ou o consumo de bebidas alcoólicas também podem resultar em mau hálito.

Quais são as formas de prevenir o mau hálito?

Chegou o momento da prevenção. Afinal, não queremos que o problema volte a aparecer após a correção.

  • Boa higiene oral: a higiene oral deve ser feita ao acordar, ao deitar e após as refeições, de modo a evitar a formação de placa bacteriana. Assim, a higiene oral é tanto uma forma de tratamento, como uma forma de prevenção. Em caso de dúvida, questione o profissional quanto às técnicas de higiene.
  • Evite comportamentos de risco: evite ter hábitos tabágicos, consumir bebidas alcoólicas e beber pouca água. Ao mesmo tempo, não deve estar muitas horas sem comer e, se necessário, deve usar técnicas que ajudem a estimular a produção de saliva.
  • Tenha consultas regulares: o melhor é ter consultas regulares com o seu dentista, de maneira ao profissional conseguir avaliar o seu estado de saúde com regularidade e atuar caso seja necessário. As consultas de rotina devem ser feitas, no mínimo, todos os anos, mas, em alguns casos, podem ser necessárias consultas a cada 6 meses.

Além das dicas acima, peça conselhos ao seu dentista. Ele irá dar-lhe dicas mais direcionadas, que resultem consigo, como os melhores produtos para o seu caso em particular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.